quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Sobre o quarto disco do Cidadão Instigado

Além de conseguir entradas para o backstage do show de lançamento, você ainda pode possuir um box inédito - com os quatro CDs da banda - e participar ativamente do disco. O quarto disco do Cidadão Instigado está a cada dia mais próximo. Para este dia chegar, só depende de você:

http://www.sibite.com.br/projeto/projetodetalhe.aspx?IdProjeto=139

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Uhuuu!

(julho 1, 2011 por Wellington Jr. - http://puroefacildelevar.wordpress.com/)

Cidadão Instigado é uma banda Cearense criada em 1994, liderada pelo Fernando Catatau, compositor e arranjador de todas as musicas da banda. As influências do Cidadão Instigado são muito amplas, de musica nordestina ao rock dos anos 70, passando ainda pelo “brega” brasileiro. A banda possui três discos, O Ciclo da De.Cadência (2002), O Método Túfo de Experiências (2005) e, o que falarei um pouco mais a diante, UHUUU! (2009).

Confesso que não consegui digerir por completo esse disco quando ouvi pela primeira fez, cheguei a até achar que tinha acabado de ouvir a banda mais sem noção e sem necessidade de existir. Mas depois parei para ouvir os outros discos da banda e consegui entender a “loucura” e o “surrealismo” da mesma.

Fernando Catatau pode ser considerado o Tom Zé da sua geração. E o Cidadão Instigado pode ser considerado os Mutantes do século XXI. Eles parecem beber da fonte desses grandes artistas brasileiros e conseguem como poucos fazer uma mistura de estilos diferentes sem parecer muito surreal e também sem parecer muito perfeito, entrando em um meio termo que se torna melhor que qualquer definição de engrandecimento.

UHUUU! é pop (“Contando Estrelas” e a linda “Como As Luzes”), vai pelo brega romântico (“Dói”, que Edgar Escandurra participa), dá uma volta pelo rock progressivo (“Escolher Pra Quê”, “Deus é Uma Viagem” e “Cabeção”) e ainda encontra um espaço para o experimentalismo surreal que é marca registrada da banda (“Ovelhinhas” , “A Radiação da Terra” e “Doido” que tem a participação do Arnaldo Antunes). E vale destacar também a nostálgica “Homem Velho”, uma das melhores faixas do disco.

UHUUU! é um disco de ritmos e estilos diferentes, diferente do seu antecessor. A banda não tem medo de misturar estilos e ritmos e forma um disco agradável de ouvir, não para todos os ouvidos, alguns podem estranhar de primeira como eu, outros podem demorar bastante tempo, mas é um disco que quando escutado com atenção se torna o disco de cabeceira.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

David Byrne - do Talking Heads - cita Cidadão Instigado na Folha

Você revigorou Tom Zé e ajudou a revalorizar os "Mutantes". Que artistas brasileiros atuais lhe agradam? Pensa em lançar algum deles?


Deixei para Yale Evelev continuar com o selo que comecei [Luaka Bop]. Não sei dos planos dele em relação a artistas brasileiros. Lenine, Tiê, Tulipa, Céu, Fino Coletivo, Cidadão Instigado... Há muita coisa que gosto entre o que ouvi recentemente!

(Bicicleta é rejeição a status, diz David Byrne em entrevista, FABIO VICTOR, 21/06/2011)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Cidadão Instigado - Som Brasil: Nelson Motta (2011)

A seguir, link com o áudio das apresentações no especial da Rede Globo.


1)Como Uma Onda

2)De Repente Califórnia

3)O Cantador


DOWNLOAD

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Lupaluna 2011 - (13/05)


(foto: Felipe Waltrick)

quinta-feira, 19 de maio de 2011

FERNANDO CATATAU - Instrumental ao vivo Sesc Brasil (2010)



Download: Fernando Catatau Ao Vivo Sesc (2010)

Líder do grupo Cidadão Instigado e guitarrista de nomes como Otto, KarinaBuhr,
Instituto e Seleta Coletiva, Fernando Catatau apresenta aqui influências do rock and roll, música africana e música popular brasileira. Os arranjos de suas composições são uma boa mistura de melodias fortes, solos de guitarras marcantes e uma harmonia geral com os músicos que o acompanham. Com Regis Damasceno (guitarra); Samuel Vieira (bateria); Clayton Martin (percussão) e Yuri Kaliu.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Lobão cita o Cidadão Instigado


revistaepocasp.globo.com - O que trouxe você para São Paulo, há três anos?

Lobão - A decadência do Rio de Janeiro, que está num processo acelerado de provincianização. Uma ex-capital tende a se folclorizar em vez de se reinventar. Já São Paulo é o que há de mais próximo do Primeiro Mundo no Brasil. É a única cidade cosmopolita do país, mesmo com suas mazelas. O Rio virou o túmulo do rock. Aqui, há uma cena com potencial para virar algo histórico. Cachorro Grande, Cidadão Instigado, Nação Zumbi. Todo mundo veio para cá.

terça-feira, 1 de março de 2011

O grupo cearense Cidadão Instigado, que se apresenta no Rival + Tarde sábado, prepara o seu quarto disco

RIO - Uhuuu! O Cidadão Instigado vem aí. Afastado dos palcos cariocas desde 2009, quando lançou seu terceiro disco no Circo Voador, o grupo cearense, liderado pelo singular cantor, brilhante compositor e excepcional guitarrista Fernando Catatau, volta ao Rio no fim de semana, para um único show, sábado, às 23h30m, dentro do projeto Rival + Tarde.

No repertório, músicas de "Uhuuu!" - para muitos, o seu melhor trabalho - e também dos discos anteriores do grupo, "O ciclo da decadência" (2002) e "O método túfo de experiências" (2005), que consagraram seu estilo que une rock psicodélico e música popular. Catatau, que mora em São Paulo, diz que se inspirou no tom colaborativo da série Sonoridades, em cartaz este mês no Oi Futuro Ipanema, mas, tímido e evasivo, não revela quais as surpresas que preparou para o show do Cidadão no Rival.

- Acho que vamos ter alguns convidados, sim - diz ele. - Chamamos alguns brothers aí, mas ainda estamos vendo o que vai rolar. Devemos fazer alguns covers também, além de tocar músicas dos nossos três discos. Mas só na hora H mesmo vamos saber como vai ficar tudo.

Catatau está em estúdio. Mas (ainda) não é para gravar o sucessor de "Uhuuu!". Ele assina a produção do novo disco do pernambucano Siba (Sérgio Veloso), um dos criadores do grupo Mestre Ambrósio.

- Nós somos amigos há um tempão, e fiquei feliz com o convite dele para produzir o disco - explica Catatau. - Já estamos em estúdio há dois meses e temos um bom material pronto. Em breve, vamos partir para a mixagem e os acertos finais. Acho que o disco vai ficar muito bonito.

"
A gente já tem um bocado de composições novas para o próximo disco. Mas falta ensaiar esse material para logo depois entrar em estúdio. Por isso, ainda não sei direito como ele vai soar em relação aos outros discos, mas posso adiantar que deve ser bem rock. Sabe, tenho ouvido muito Black Sabbath...
"
--------------------------------------------------------------------------------
.Quando colocar a tampa no disco do amigo, Catatau - que se diz curioso para ouvir as inovações do americano Flying Lotus - vai partir para o desafio de criar um sucessor à altura de "Uhuuu!". Se os dois primeiros discos do Cidadão Instigado mostravam um diamante pronto para ser lapidado, o elogiado "Uhuuu!" - que teve as participações de Edgard Scandurra e Arnaldo Antunes - brilhou intensamente ao derrubar barreiras em torno do conceito de "brega", absorvendo psicodelia, Roberto Carlos, Santana, Pink Floyd, surf music e Neil Young no percurso.

- A gente já tem um bocado de composições novas para o próximo disco - adianta Catatau. - Mas falta ensaiar esse material para logo depois entrar em estúdio. Por isso, ainda não sei direito como ele vai soar em relação aos outros discos, mas posso adiantar que deve ser bem rock. Sabe, tenho ouvido muito Black Sabbath...

Re: Fernando Catatau

Fernando Catatau (no centro da foto aí de cima) está em dois dos melhores discos lançados este ano. Um é "Uhuuu!", de sua banda Cidadão Instigado (os caras da foto). O outro é "Iê iê iê", de Arnaldo Antunes, no qual ele é o produtor.

Quatro perguntas para ele:

(contrariando a lição primeira de uma boa entrevista, com perguntas maiores que as respostas)

O trabalho do Cidadão Instigado, com todas as suas particularidades, segue uma tradição de abertura da música popular brasileira, que vem dos tropicalistas e foi retomada com força no fim dos anos 90, em trabalhos como o do Los Hermanos. É a ideia de que existe uma riqueza enorme além da fronteira do chamado "bom gosto". Qual é a sua relação pessoal, emocional, estética, filosófica com essa música representante, supostamente, do "mau gosto" do povo (sobretudo o cancioneiro romântico popular da década de 1970)?

Quando comecei a compor as músicas do que seria o Cidadão Instigado em 1994, parti de um princípio muito importante pra minha pessoa, que era o de fazer sempre o que me fosse mais verdadeiro dentro das minhas crenças. Essa foi a base do Cidadão. Essa relação com o lado romântico da música é simples. Sinto assim e faço dessa maneira. Não tenho relação estética ou filosófica com o cancioneiro popular dos anos 70. Gosto de música romântica, Pink Floyd, Legião, Raul, Bee Gees...

Esse cancioneiro vem atraindo um interesse crescente nos últimos 10 anos, mas algumas vezes a partir de um viés de humor, quase da paródia. Como você vê essa abordagem?

Ouvir uma música e se emocionar é algo muito grandioso. Tem gente que ri, outras que choram, algumas tiram onda. Eu gosto, e isso é o suficiente preu continuar escutando e achando que é musica boa.

O que há na música brasileira produzida hoje, nesse terreno ultrapopular, que te interessa?

Otto, Júpiter Maçã, Ponto de Equilíbrio, Alcione...

Nas letras de "Uhuuu!", as imagens se alternam entre uma certa dureza (com ou sem elementos lisérgicos) e uma ternura triste (nas românticas). A partir dessa percepção, gostaria de saber: como você vê o futuro?

O futuro é algo que não se consegue ver. A gente imagina, mas ver mesmo nao dá. Na minha cabeça, quando penso em futuro me vem uma imagem confusa. O que víamos nos filmes futurísticos hoje ja é fato. Ainda faltam os carros que voam, armas de raio laser, os ets chegando na terra... Fico imaginando quando várias coisas dessas acontecerem. Vai ser muito doido.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Catatau & Odair José


Catatau no Grêmio Recreativo MTV


Cidadão Instigado e Júpiter Maçã juntos no Rock in Rio

Um show que promete no Rock in Rio é o do Cidadão Instigado junto com Júpiter Maçã. Os dois se apresentam no Palco Sunset, o espaço do festival destinado a encontros de uma ou mais bandas e/ou artistas. As duas bandas já estiveram no mesmo palco, mas em shows separados - veja como foi no Rio, em 2009. Mas é a primeira vez que eles vão fazem um show só. A apresentação acontece no dia 1º de outubro, junto com Tiê + Jorge Drexler; Zeca Baleiro + Concha Buika; e Erasmo Carlos + Arnaldo Antunes (no Palco Sunset); e Coldplay, Skank e atrações a definir (no Palco Mundo). Para ver todas as atrações do Palco Sunset Rock In Rio, clique aqui. (Rock em Geral - 23/02/2001)

Arnaldo Antunes recebe Otto, Odair José, Cidadão Instigado, Bárbara Eugênia e Paulo Miklos em seu Grêmio Recreativo

Em 2011, a MTV vem com várias novidades, entre elas um programa apresentado pelo cantor Arnaldo Antunes. Ele convida músicos parceiros para um show exclusivo, e o registro desse show, dos ensaios e conversas que acontecem entre eles se transformam no Grêmio Recreativo.

O programa vai pro ar uma vez por mês e acontece sempre numa casa noturna de São Paulo. Ontem, no Inferno, casa noturna da Rua Augusta em São Paulo, aconteceu mais uma gravação do Grêmio Recreativo. Ontem, Arnaldo recebeu no palco da casa noturna os cantores Otto, Odair José; seu parceiro da banda Titãs, Paulo Miklos; a cantora Bárbara Eugênio e a banda Cidadão Instigado.

Eles cantaram músicas do repertório dos artista convidados, entre elas Seis Minutos, do mais recente trabalho de Otto, O Tempo, de Cidadão Instigado com Bárbara Eugênia;Televisão e Panorâmica, dos Titãs e uma canção ainda inédita de Odair José, composta por Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes.

O programa vai ao ar a partir de março, na nova programação da MTV.

postado por Davi Rocha

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Saiba quais são os 50 álbuns que formaram identidade musical brasileira dos anos 2000


(MARCUS PRETO
DE SÃO PAULO)

Quais foram os álbuns que fizeram a identidade da música brasileira da década que termina na sexta-feira?

Usando como critério não só a qualidade estética, mas também o sucesso mercadológico e a relevância que tiveram na transformação da indústria musical, editores e repórteres da Folha selecionaram os 50 discos mais representativos do que foi o Brasil nos dez anos passados.

A década começou subvertendo bossa nova em música eletrônica --primeiro pelas mãos do produtor Suba (1961-1999), depois por iniciativas de Fernanda Porto e DJ Marky, entre outros.

A seguir, o samba foi alçado a principal ingrediente na reformulação do pop. O processo partiu da revitalização da Lapa carioca, com Teresa Cristina à frente, chegando ao mainstream em álbuns de Marisa Monte, Maria Rita etc.

O ciclo ufanista diminuiu a partir de 2006. Agora, o pop absorve um sem número de gêneros e volta a beber do rock, da psicodelia e do folk.

Mas a principal revolução dos 00 não foi estética. Muito mais radical foi a transformação das relações entre ouvinte, música e indústria.

Com as facilidades tecnológicas de gravação, o artista independente, antes exceção, se tornou regra do mercado. Essa nova condição fez nascer o espírito colaborativo que resultaria em projetos coletivos como o Instituto, o +2 e a Orquestra Imperial.

Como lembra João Marcello Bôscoli, dono da gravadora Trama, "se por um lado a internet ajudou na derrocada da indústria do disco, por outro serviu de plataforma para novos artistas". Ele cita os exemplos do Cansei de Ser Sexy e de Mallu Magalhães.

Gêneros populares, o tecnobrega, do Pará, e o funk carioca brotaram e ganharam espaço à parte da indústria.

"A indústria só conseguiu manter o controle sobre o [segmento] sertanejo", diz Pena Schmidt, ex-executivo de gravadoras que hoje atua como diretor artístico do Auditório Ibirapuera. "Nem no axé eles mandam mais --a Ivete é dona do seu nariz."

Em contrapartida, a internet "tornou o sucesso fugaz", como acredita João Augusto, dono da pequena gravadora Deck Disc. "O moleque já coloca músicas no computador sabendo que vai jogar fora."

Mesmo reconhecendo o quanto sua banda deve à internet, Adriano Cintra, baixista do Cansei de Ser Sexy, concorda com isso: "A música virou um acessório do iPod. Ninguém quer mais gastar dinheiro com ela".



DISCOTECA BÁSICA DOS ANOS 00

1. Bebel Gilberto - Tanto Tempo (2000)
2. Suba - São Paulo Confessions (2000)
3. Otto - Condom Black (2001)
4. Ana Carolina - Ana Rita Joana Iracema e Carolina (2001)
5. Seu Jorge - Samba Esporte Fino (2001)
6. Ivete Sangalo - Festa (2001)
7. Los Hermanos - Bloco do Eu Sozinho (2001)
8. Hamilton de Holanda - Hamilton de Holanda (2001)
9. Cachorro Grande - Cachorro Grande (2001)
10. Tribalistas - Tribalistas (2002)
11. Grupo Revelação - Ao Vivo no Olimpo (2002)
12. Mart'nália - Pé do Meu Samba (2002)
13. Instituto - Coleção Nacional (2002)
14. Max de Castro - Orquestra Klaxon (2002)
15. Fernanda Porto - Fernanda Porto (2002)
16. Teresa Cristina - Canta Paulinho da Viola (2002)
17. Zeca Pagodinho - Deixa a Vida me Levar (2002)
18. Nando Reis - A Letra A (2003)
19. Cibelle - Cibelle (2003)
20. Domenico + 2 - Sincerely Hot (2003)
21. DonaZica - Composição (2003)
22. Marcelo D2 - A Procura da Batida Perfeita (2003)
23. Pitty - Admirável Chip Novo (2003)
24. Maria Rita - Maria Rita (2003)
25. Banda Calypso - Ao Vivo em São Paulo (2003)
26. Mombojó - Nadadenovo (2004)
27. Cidadão Instigado - O Ciclo da De.Cadência (2002)
28. DJ Marky & XRS - In Rotation (2004)
29. Mônica Salmaso - Iaiá (2004)
30. Romulo Froes - Calado (2004)
31. Tati Quebra-Barraco - Boladona (2004)
32. Vanessa da Mata - Essa Boneca Tem Manual (2004)
33. Céu - Céu (2005)
34. Roberta Sá - Braseiro (2005)
35. Caetano Veloso - Cê (2006)
36. Kassin + 2 - Futurismo (2006)
37. NXZero - NXZero (2006)
38. Cansei de Ser Sexy - Cansei de Ser Sexy (2006)
39. Marisa Monte - Universo ao meu Redor e Infinito Particular (2006)
40. Orquestra Imperial - Carnaval Só Ano que Vem (2007)
41. Vanguart - Vanguart (2007)
42. Fernanda Takai - Onde Brilhem os Olhos Seus (2007)
43. César Menotti & Fabiano -.com_você (2007)
44. Tiê - Sweet Jardim (2008)
45. Cérebro Eletrônico - Pareço Moderno (2008)
46. Mallu Magalhães - Mallu Magalhães (2008)
47. Marcelo Camelo - Sou (2008)
48. Maria Gadú - Maria Gadú (2009)
49. Marcelo Jeneci - Feito pra Acabar (2010)
50. Tulipa Ruiz - Efêmera (2010)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Karina Buhr e Cidadão Instigado fazem show hoje em projeto do CCBB de São Paulo


CCBB
traz diversidade brasileira a São Paulo com RIFFS, GROOVES E BEATS. Projeto de música reúne renomados artistas da música contemporânea brasileira a partir de hoje, dia 4 de janeiro.

O Brasil vive um momento muito fértil na música contemporânea. Artistas de várias partes do país estão criando novos sons a cada dia. Com a ajuda da internet a comunicação entre lees facilitou na divulgação e influência de um trabalho artístico no outro.
Pensando nessa diversidade, o Centro Cultural Banco do Brasil realiza o projeto “Riffs, Grooves e Beats”, com seleção de artistas de diferentes regiões do país para representar essa riqueza musical.

Seja trazendo riffs de guitarra exclusivos, seja com grooves originais ou beats inusitados, nenhum dos repertórios se encerra em um só ritmo. Pelo contrário, todos eles reinventam suas influências, misturam as referências e produzem materiais exclusivos.
O formato, como é tradição no CCBB, será de duas apresentações de cada banda por dia, uma na hora do almoço e outra a noite, sempre às terças-feiras.

A primeira apresentação acontece no dia (04) de janeiro: Cidadão Instigado e Karina Buhr. Dia (11), o som é de Edgard Scandurra e Tigre Dente Sabre. No dia (18), os acordes são de Maquinado e Retrofoguetes e, para encerrar, Nação Zumbi e Ava Rocha tocam no dia (25) de janeiro, aniversário da cidade.

Cidadão Instigado

Vivendo o melhor momento da carreira, o Cidadão Instigado lançou, em 2009, o terceiro álbum. Aclamado pela crítica “Uhuuu!” traz um rock psicodélico no qual contrastam referências como Roberto Carlos, Santana, Pink Floyd e Bee Gees. Os novos arranjos se embalam numa música brasileira contemporânea, cheia de guitarras alucinadas e letras poéticas, cantadas numa voz melódica, única.

Além de Fernando Catatau (voz, guitarra e teclado), completam a banda Regis Damasceno (guitarra, guitarra sintetizada e vocal), Rian Batista (baixo e vocal), Clayton Martin (bateria e programações), Dustan Gallas (teclado e vocal) e Kalil Alaia (técnico de som e efeitos). “Uhuuu!” recebeu oi foi indicado a quase todos os prêmios da música brasileira: foi considerado o “melhor show de 2009”, pelo Guia da Folha, e o segundo melhor álbum pela Revista Rolling Stone.

A banda também foi indicada ao Prêmio Multishow, Prêmio Música Digital (categoria artista do ano) e Prêmio Bravo (categoria melhor CD popular). Fora isso, o vocalista e guitarrista Fernando Catatau foi considerado “o homem do ano” pelo jornal O Globo.

Karina Buhr

Ela lançou um dos melhores álbuns do ano, “Eu Menti pra Você”, o primeiro solo depois de anos na banda Comadre Florzinha. Cantora e compositora, Karina Buhr nasceu na Bahia e foi criada em Pernambuco, onde viveu intensamente a música de raiz, as pastoras, o cavalo marinho, o maracatu. E traz de lá um colorido que faz suas músicas e letras muito especiais.

No palco, Karina surpreende pelo carisma e está sempre acompanhada de uma banda de primeiro time. Ela vai tocar músicas desse álbum de estreia como “Plástico Bolha”, “Eu Menti pra Você”, “Vira Pó”, “Avião Aeroporto”, “O Pé”, “Mira Ira” e outras.

SWU: Cidadão Instigado faz a alegria de poucos no palco Oi

(Texto: Bruno Dias)

A presença dos Mutantes no palco Água fez muita gente abandonar o palco Oi, responsável por alguns dos shows mais legais deste primeiro dia de SWU. Por conta disso, o Cidadão Instigado acabou fazendo a alegria de poucos sortudos já com a noite caindo.

Abrindo de forma surpreendente com Doido, Fernando Catatau hipnotizou o pequeno, porém animado, público que o assistiu. Logo vieram Contando Estrelas, Nada e Homem Velho, que tiraram algumas dancinhas e muitos air guitars, esquentando a galera que não sabia se reclamava do vento gelado ou se deixava levar pela música.

Para chegar, O Cabeção, dando tempo para ver o finalzinho do show dos Mutantes.

Cidadão Instigado e Karina Buhr se apresentam no CCBB

(Augusto Gomes, iG São Paulo | 05/01/2011 14:25)

O grupo Cidadão Instigado e a cantora Karina Buhr abriram, nesta terça-feira (04), a série de shows "Riffs, Grooves e Beats" no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Foram duas sessões, uma às 13h e outra às 19h30.
A primeira atração foi Karina Buhr. Durante cerca de 40 minutos, ela mostrou músicas de seu álbum de estreia, "Eu Menti pra Você", lançado no início do ano passado.
Mesmo cantando num local pequeno e intimista, Karina se portou como se estivesse num estádio. Correu pelo palco, se atirou no chão, foi até o meio da plateia. Sua forte presença deu mais força a boas músicas como "Eu Menti pra Você" e "Ciranda do Incentivo".

Outro ponto alto foi a ótima banda que acompanha a cantora, com destaque para os guitarristas Edgard Scandurra e Fernando Catatau.
Catatau, por sinal, cumpriu dupla jornada, já que lidera o Cidadão Instigado, a segunda atração da noite. A banda também tocou por pouco mais de 40 minutos, tempo para apresentar apenas nove músicas. Tanto o público quanto os músicos queriam mais.
A base do show foi o disco "Uhuuu!", lançado em 2009. No caldeirão da banda, entraram influências tão díspares quanto rock progressivo, música brega dos anos 1970 e pop oitentista.
A série de shows continua por mais três semanas, sempre às terças-feiras nestes dois horários, 13h e 19h30. No dia 11, tocam o guitarrista Edgard Scandurra e a banda Tigre Dentes de Sabre. No dia 18, o Maquinado (projeto do guitarrista Lucio Maia, da Nação Zumbi) e o grupo Retrofoguetes.
O festival termina no dia 25, dia do aniversário de São Paulo, com shows da banda Nação Zumbi e da cantora Ava Rocha. O Centro Cultural Banco do Brasil fica na Rua Álvares Penteado, 112, no Centro.