quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Especial: Caravana Maldita

25/set 15:35

A primeira banda que chamou a atenção, no sábado, foi a paulista Biônica. Um homem na guitarra e três mulheres com coroas de princesa, na bateria, baixo e voz, tratam de temas como o sequestro de Abílio Diniz e a morte da mãe do Bambi com postura punk, certa pose hippie de chocalhos na mão e muito descompromisso. Descompromisso que remete um pouco à boca suja do também paulista Cansei de Ser Sexy - que circulava pela platéia - mas sem o mesmo hype fashion e a mesma ironia. O CSS te agride com o desbunde, e você gosta ou não, entende ou bóia. E aí está o maior problema do Biônica: a baterista é boa e puxa pra frente o som, a guitarra é interessante, plasticamente a banda vai bem no palco, mas a vocalista não achou o tom. Quando alguém resolve cantar que vai te assustar, a primeira coisa que tem que acontecer é você esperar um susto. E, com o Biônica, todo o trabalho de ser diferente às bandas que se levam a sério cai porque falta compromisso com a brincadeira. Ninguém se assustou, a rebeldia era ensaiada.
Em seguida, a banda de um, Cidadão Instigado, sobe ao palco. Além do próprio CI Fernando Catatau, músicos de apoio aparecem (baixo, guitarra base, teclado e bateria) e dão de cara com um público pouco disposto a entrar na cabeçudisse cearense de incômodo ao senso comum. Um elo entre as possibilidades da guitarra elétrica e a loucura fora-da-ordem de Walter Franco. O show foi praticamente todo em cima do disco mais recente, ‘Cidadão Instigado e o Método Tufo de Experiências’, que ao vivo soa mais simples e fácil (estamos falando de instigação, lembre-se) do que o disco anterior, ‘O Ciclo da Dê.Cadência’. Apesar de certa apatia, que ameaçava-se tornar animosidade no que a apresentação chegava ao fim, houve aplausos que eram mais do que um protocolo de respeito. Entre os cariocas malditos, pode-se dizer que uma sementinha instigada foi plantada. A música saideira foi a poética e existencial ‘Lá Fora Tem’, que se fosse pra usar uma gíria da caravana, seria desde já um clássico.

(25/09/2005, http://www.sobremusica.com.br/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário