sábado, 2 de outubro de 2010

Um grande instrumentista


Fernando Catatau é um sujeito diferente. Com um olhar lançado à tristeza e ao que a vida oferece de sublime, ele abraçou a guitarra como paixão e também sustento. É com ela que ele acompanha pelo Brasil afora figuras como Otto e Vanessa da Mata. Ele segue criando e experimentando seus acordes dissonantes junto a criações inovadoras da música brasileira.

Mesmo estando na estrada quase que diariamente, Catatau como é conhecido nos palcos ainda tem fôlego para criar composições para o seu trabalho chamado “Cidadão Instigado”.

Com dois discos lançados “O ciclo da decadência" e o mais recente"Método tufo de experiências", Catatau cria juntamente com os músicos Regis Damasceno, Rian Batista, Clayton Martim e sempre traz um convidado diferente que acrescenta sua experiência e viagens.

Por falar em viagens, parece ser essa mesma a intenção do último trabalho do Cidadão. Com canções como “Te encontra logo...”, “Os urubus só pensam em te comer”, “O pobre dos dentes de ouro” e a brincadeira divertida de “O pinto de peitos”, o trabalho é delicioso e incansável. As criações da guitarra junto à voz peculiar de Catatau são o diferencial das canções.

Semelhante ao brega e sem amarras de rótulos enviesados, o Cidadão faz uma viagem a diferentes ritmos e traz o nordeste despregado do mapa geográfico. Nascido no Ceará, Catatau carrega a força do nordeste no sangue e nas composições. Apesar disso, sua verdadeira paixão musical é Roberto Carlos e como ele mesmo declara aos quatro cantos, sua felicidade na música é ouvir música triste. “Música feliz demais me dá agonia, me deixa triste”.

Não é o que parece ao percorrer o último trabalho do cidadão. Com humor sarcástico e diferentes ‘tirações’ de onda , como a canção “O pinto dos peitos”, que fala do pio escuro de um pinto com bico preto, o Cidadão traz um trabalho honesto e divertido por sinal. Amante também da fase romântica da dedada de 70 e fã de Fernando Mentes, Márcio Greyck e Bee Gees, Catatau também sofre influência direta de suas próprias criações quando acompanha músicos brasileiros pelo mundo afora, mostrando claramente toques do brega, do rock progressivo e músicas com climas variados, ou seja, aberto às invenções.

Apaixonado por áudio, equipamentos antigos e pelos instrumentos em geral, Catatau escolheu a guitarra ao ouvir pela primeira vez o guitarrista Santana. Caminhando por discos de Pink Floyd, Jimmy Hendrix e Iron Maiden, ele criou se gosto musical nessa salada que mistura temperos de várias partes do mundo. Esse tempero pode ser saboreado nos discos do Cidadão. Delicioso e com toques de uma voz peculiar, pouco ouvida na música brasileira, os discos do Cidadão trazem a sensação de que Catatau não tem medo de ousar e assim cria, chora, sente e se diverte, mexendo e puxando o tapete do mercado independente da música brasileira.

Pode-se dizer que o Cidadão Instigado é um grupo especial nesse seleiro da música hoje, quando consegue desamarrar do mercado e lançar-se às criações pura e simplesmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário